aprendenças

Você me ensinou a não negligenciar o amor. Me ensinou que eu podia gostar de duas pessoas ao mesmo tempo, mas que o mais sensato é fazer a escolha, ou acabo magoando as três. Você me ensinou que um cara não precisa saber ser romântico pra mostrar que gosta de uma garota. Me ensinou que é possível se apaixonar por uma pessoa pelo que ela é, antes mesmo de poder tocá-la pessoalmente. Ensinou que eu não preciso estar com os cabelos alinhados pra ser bonita e que é possível passar dias a fio com uma só pessoa e não enjoar dela. Também ensinou que é possível chorar uma semana pela mesma pessoa. Ensinou que, depois de um dia incrível e de esperanças renovadas, pode ser o fim. E foi.

Você me ensinou sobre amor à primeira vista e a não desistir dele só porque pode demorar pra ser correspondido. Me ensinou o proibido e a emoção e riscos de viver por ele. Me ensinou que eu posso sumir em um abraço e, ainda assim, me sentir grande. Ensinou que é possível fazer planos pra vida toda e conseguir enxergá-los ao fechar os olhos. Ensinou que existem poucas surpresas melhores do que um ovo de páscoa de Chokito dentro do armário. Me ensinou o que é se sentir perto mesmo na distância. Me ensinou a escrever cartas de amor. Ensinou que, por maior e mais bonito que seja um sentimento, eu posso magoar profundamente aquele a quem o destinei. Me ensinou ainda que, mesmo depois de anos, ainda pode ficar algo bom de tudo. E ficou.

Foto: Volkan Olmez

Você me ensinou que o amor acontece quando tem que acontecer, não importa o quão adversas sejam as circunstâncias e o quanto faltem motivos pra isso. Me ensinou que tomar sorvete numa segunda-feira à tarde pode ser uma das melhores coisas da vida. Ensinou a gostar de açaí, azeite e de mim. Ensinou que eu sou toda linda, mas meu pé é sempre feio. Me ensinou sobre convivência, sobre desafiar o mundo pra ficar junto, sobre amor desmedido. Também me ensinou sobre a dor de amor, principalmente que ela não mata. Me ensinou que eu preciso experimentar mais a vida, mas essa parte eu ainda não aprendi muito bem. Ensinou que a saudade prolongada te consome e pode te mudar. E mudou.

Você me ensinou que encontros às escuras não dão certo só nos livros. Me ensinou que, se a gente não se encantar pela pessoa a primeira vez, não quer dizer que não vá se encantar por ela todos os outros dias. Ensinou que as minhas perguntas bobas são interessantes em um jogo de futebol americano e que os 305 km da F1 podem ser divertidos. Me ensinou que um beijo regado a cerveja de verdade e Beatles jamais será esquecido. Me ensinou sobre torresmo, bacon, bom dia, boa tarde, boa noite. Ensinou que um sorriso seu pode mudar o meu dia – e a me sentir completa só por sentir sua mão na minha cintura. Me ensinou a ser doce sempre e não ter vergonha disso. Me ensinou a acreditar de novo e que, em meio a tanto encantamento, eu poderia me apaixonar novamente. E eu me apaixonei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>